Vídeos do Lu Inesio

Loading...

Biografia do Pr. Sardie Ade'Neal

Pr. Sardie Ade'Neal - Avivamento por Fogo


Nascido na Nigéria, Sardie Ade’Neal era um agente da Polícia Federal. Nasceu em uma família cristã, o que influenciou a seguir os caminhos do Senhor durante toda a sua infância.

Neal, como Isaque e Samuel da Bíblia Sagrada, nasceu de um útero doente.
Sabemos através das Escrituras que todo filho que nasce de um útero doente é muito especial para Deus.
Isaque que é considerado um tipo de Cristo no Velho Testamento, filho de Abraão, o amigo de Deus, nasceu de um útero doente.
Samuel, usado por Deus. O único homem da história de Israel que era um profeta, sacerdote e juiz ao mesmo tempo e ungiu grandes reis, também nasceu de um útero doente.

Neal permaneceu no útero de sua mãe por um período maior que o normal, quando nasceu, sua mãe Elizabeth Ade’Neal, viu um anjo do Senhor face a face que trouxe uma mensagem especial do trono de Deus para a pobre mãe, dizendo que seu filho havia sido escolhido pelo Senhor para um ministério especial.

Neal começou a crescer em graça e conhecimento. Aos dezoito anos de idade, ficou morto por várias horas e através do poder de Deus, tornou a viver. Foi exposto ao poder do Senhor vendo muitos milagres muito cedo, depois de ser batizado com o Espírito Santo, o Senhor deu a ele muitas revelações através de sonhos e visões.

Em 1991, o Senhor Jesus apareceu para Neal em seu quarto, foi arrebatado ao céu, e pode ver o mundo todo e todos os pecados que cobriam os quatro cantos da terra, viu também as almas das pessoas que morreram em pecado suplicando por misericórdia. O Senhor então disse a ele para ir e pregar o evangelho e que muitos seriam salvos.

Em 1994 ele deixou de ser agente federal para se dedicar ao ministério. Seu grande desejo é ver cada pessoa no corpo de Cristo salva da maldade do mundo, assim como o Senhor deseja que todos seus filhos permaneçam em Seu amor e presença, Neal também tem a mesma paixão.

Neal é um pregador avivalista e revolucionário, busca constantemente ao Senhor e seu maior desejo é encher-se com a presença de Deus para transmitir e ensinar aos outros as maravilhas de Deus.
Através de cruzadas ou no evangelismo pessoal, a sua paixão em ver as vidas mudadas pelo amor e poder do Senhor continua crescendo.
Ele tem sido um verdadeiro exemplo de obediência a Cristo quanto ao ensinamento de Jesus, para deixarmos nossas vidas e pegarmos a cruz diariamente.

Neal pelo poder do Espírito Santo tem realizado grandes cruzadas em lugares como a Europa, América do Sul, América Central, África e muitas outras partes do mundo, fazendo com que essas regiões sintam a presença de Deus, levando vida onde estão os mortos.

Visite o Site do Pr. Neal e entre em contato para agendar Seminarios, Cruzadas ou conferências. Avivamento por Fogo.
Contato celular 034-8875-4670 ou pelo Site: http://www.revivalbyfire.com/default.asp

 

Ressureição

 Através dessa Linda passagem em João Cap.11: 1 a 46, onde Jesus nos ensina sobre fé e vida, vida em Cristo, voce possa ver a glória de Deus!.

Nos vers 1 e 2: a biblia relata a situação de um homem enfermo (Lazaro) mas tambem quem é sua familia, e quem dentre essa familia ja experimentou da presença e da Glória de Cristo.

No vers 3: chamam (clamam) para que Jesus venha e traga a Paz Justiça e Alegria, Perdao, restauraçao e vida á quem ele ama e pagou o preço.

Nos vers 4, 5 e 6: Jesus deixa claro que no seu amor e no seu tempo tudo é perfeito.

Nos vers de 9 a 15: Jesus chama os discipulos a realidade em resposta aos versiculos 7 e 8.

No vers 17: A biblia mostra aqui com uma enfase incrivel em que Jesus esta diante da morte, do impossivel ao homem se ver livre ou derrota-lo sem Cristo.

Nos Vers de 20 a 32: Vemos a nossa incredulidade achamos que Deus nao nos ouviu, nao recebeu nossa oraçao que o tempo passa e nada acontece; e Jesus diz: ("Eu sou a ressureiçao e a vida. Quem Crê em mim, ainda que morra, viverá; e todo o que vive e crê em mim não morrerá, eternamente. CRÊS ISTO?" (Jo 11:25,26))

Nos vers 38, 39 e 40 Jesus se agita em Si e manda que tire a pedra (Jó 41:24 "O seu coração é firme como uma pedra..."), não seja como Marta creia, ("Respondeu-lhe Jesus: Não te disse eu que, se creres, verás a glória de Deus?")

Nos vers 41 e 42: A biblia diz que tiraram a pedra e Jesus ora, vamos orar, creia tire a pedra, saia pra fora de onde a sua visão esta limitada, faça como Abraão olhe para o Sul para o Norte Leste e Oeste e percorra a terra, creia : Pai, graças te dou porque me ouvistes. Aliás, eu sabia que sempre me ouves e todos verao que Tu me enviastes.

No vers 44: A biblia diz que saiu aquele que estivera morto, mas estavas com as mãos e pés ligados com ataduras e o rosto envolto em um lençol. (marcas da morte)As marcas de nossos pecados muitas vezes nos acompanham e tbem sempre nos confronta
Mãos atadas: impedidas de realizar, conquistar.
Pés atados: impedidos de avançar, caminhar.
A cabeça coberta: Olhos (Contemplar), Ouvidos (Receber), Boca (Dar), Entendimento (Se abrir e crescer)

Hoje, é o dia da sua RESSUREIÇÃO, tire a PEDRA a dureza do seu CORAÇÃO, saia pra FORA do PECADO da vida de INIQUIDADE, e deixe as marcas da MORTE as acusações do INFERNO que te atormentam e te acusão, libera suas MÃOS para as conquistas, seus Pés para percorrer os CAMINHOS do SENHOR e libera os seus OLHOS, OUVIDOS, BOCA e ENTENDIMENTO para que o SENHOR possa MANIFESTAR a sua GLória em voce e através de voce. AMEM. That my life sings you, my Lord!

Afronta em Gibeá - Um Colapso Espiritual e Social

Certo homem vivia no cume de uma montanha muito alta. Por causa de um velho ferimento de guerra, ele precisava contratar alguém para descer e subir a montanha com sua filhinha todos os dias, para que ela pudesse ir à escola. Um número razoável de pessoas se candidatou ao emprego, e ele fazia uma única pergunta a cada um: “A que distância da beira da montanha você consegue chegar sem cair lá embaixo?”

Um rapaz impetuoso respondeu: “Eu consigo chegar até trinta centímetros”.

“Isso não é nada”, disse um outro. “Eu consigo chegar até quinze centímetros da borda do precipício”.

Um terceiro se gabou: “Eu chego até três centímetros!”

Durante esse tempo, um homem simples permanecia de pé, quieto no seu canto. Quando chegou sua vez, ele respondeu: “Eu não chego perto da borda de jeito nenhum. Vou ficar no caminho seguro, porque tenho amor à vida”.
Ele conseguiu o emprego.

Muitas pessoas acham que podem viver na beira do precipício da corrupção espiritual e cultural. Mas essa é uma ladeira perigosa e escorregadia para os seguidores de Cristo, pois conduz à apatia, ao pecado e à assimilação pelo mundo. A história chocante do levita e de sua concubina (Jz 19-21) alerta o povo de Deus contra essa ameaça. O conselho para o cristão é obedecer à Palavra de Deus e ficar firme no caminho que Ele traçou.

O Panorama da Desgraça

“Porém os filhos de Benjamim não expulsaram os jebuseus que habitavam em Jerusalém; antes, os jebuseus habitam com os filhos de Benjamim em Jerusalém, até ao dia de hoje” (Jz 1.21).

Um levita de Efraim tinha uma concubina de Belém. As concubinas eram esposas secundárias que, geralmente, tinham um status mais baixo dentro da estrutura conjugal. O antigo costume foi degenerando, embora houvesse leis para restringi-lo e regulá-lo (Êx 21.7-11; Lv 19.20-22; Dt 21.10-14). Jesus restaurou o plano original de Deus para o casamento (Mt 19.4-9). O concubinato, a poligamia e a manutenção de uma amante são pecados (1 Co 7.2).

Aparentemente, a concubina do levita voltou para a casa de seu pai, em Belém. Quatro meses depois, o levita resolveu buscá-la de volta. Recebido por seu sogro conforme os típicos costumes orientais, o levita permaneceu ali por cinco dias. Na tarde do quinto dia, ele e sua concubina partiram de volta para casa, indo em direção a Jebus (a Jerusalém pré-israelita). Como já era tarde, seu servo sugeriu que eles passassem a noite na cidade dos jebuseus. Mas o levita não achou seguro pernoitarem num lugar onde não havia israelitas. Assim, eles percorreram mais oito quilômetros até a cidade benjamita de Gibeá. Em Gibeá, ninguém lhes deu abrigo para passarem a noite. Essa foi uma atitude condenável dos gibeonitas, porque Deus ordenou que Seu povo praticasse a hospitalidade (Lv 19.33-34; Lv 25.35; Mt 25.35; Hb 13.2).

Um homem idoso viu os viajantes descansando na praça da cidade e levou-os para sua casa, para que pudessem comer alguma coisa e se alojar até de manhã. Naquela noite, alguns homens degenerados da cidade cercaram a casa e começaram a esmurrar a porta, gritando: “Traze cá para fora o homem que entrou na tua casa, para que o conheçamos (abusemos dele)” (Jz 19.22).

O velho saiu e disse: “Não, irmãos meus, não cometais semelhante maldade; visto que o homem já entrou em minha casa, não façais essa loucura” (v. 23). Ele chegou até a oferecer sua filha virgem e a concubina para que os homens se satisfizessem. Mas eles não queriam mulheres. Para livrar a própria pele, o levita empurrou sua concubina para fora.

Durante toda a noite, ela foi brutalmente estuprada. Ao ser solta pela manhã, ela desmaiou na porta da casa. Quando seu marido abriu a porta para sair, viu-a caída de bruços, com as mãos na soleira da porta. Sem qualquer compaixão, ele lhe disse: “Levanta-te, e vamo-nos” (v. 28). Mas não houve resposta. Ela estava morta.

A insensibilidade do levita para com sua concubina ilustra, infelizmente, alguns aspectos da sociedade moderna. A Bíblia afirma que, nos últimos dias, o afeto natural se tornará escasso (2 Tm 3.1-5). Lamentavelmente, é isso que acontece em muitos casamentos de hoje. Nem mesmo a família da fé está imune a isso.

Então, o levita amarrou no seu jumento o corpo sem vida da mulher e continuou a viagem. Chegando em casa, ele cortou o corpo dela em doze pedaços e enviou um a cada tribo de Israel. Revoltadas com aquela visão, as tribos de Israel exigiram justiça para o crime de Gibeá (v. 30).

Foi convocada uma assembléia em Mispa, no território de Benjamim. Ali, o levita contou aos líderes o que tinha acontecido, distorcendo um pouco a história em seu próprio benefício. O que disse era verdade, mas ele não mencionou a crueldade com que empurrou sua concubina para as mãos do bando. Os anciãos exigiram que os benjamitas entregassem os agressores de Gibeá para que fossem punidos. Mas os filhos de Benjamim se recusaram. Sua tolerância para com a depravação tinha se transformado numa atitude de autodefesa alimentada pelo orgulho, e essa foi a sua ruína. “Da soberba só resulta a contenda, mas com os que se aconselham se acha a sabedoria” (Pv 13.10).

Cega de raiva e irredutível em sua teimosia, a tribo se reuniu em Gibeá para lutar contra seus irmãos. Sessenta e cinco mil homens, incluindo vinte e cinco mil benjamitas, morreram em três grandes batalhas que quase aniquilaram a tribo de Benjamim. Somente 600 sobreviveram, escondendo-se durante quatro meses no deserto.

Mas agora havia um novo problema. As outras tribos de Israel tinham jurado em Mispa que nunca deixariam suas filhas se casarem com um benjamita. Depois, porém, ficaram preocupadas com a possível extinção de toda uma tribo de Israel. Os israelitas choraram amargamente diante do Senhor (Jz 21.2,6). Então, elaboraram um plano: eles encontraram uma cidade, Jabes-Gileade, que não tinha participado da guerra e a castigaram, matando todos os seus homens e mulheres, exceto suas 400 virgens, que foram capturadas e entregues como esposas aos homens de Benjamim.

Mas ainda faltavam 200 virgens. Os anciãos de Israel entraram em conluio e disseram aos benjamitas restantes que se escondessem nas vinhas de Siló. Quando as filhas de Siló saíssem para dançar na festa anual, cada homem deveria sair de seu esconderijo e raptar uma esposa para si. Os anciãos prometeram acalmar a ira dos pais e das famílias das moças.

A Bíblia encerra esse triste episódio com estas palavras melancólicas: “Naqueles dias, não havia rei em Israel; cada um fazia o que achava mais reto” (v. 25).

A Única Solução

Antes de morrer, Josué alertou os israelitas para que obedecessem ao Senhor. Ele recordou-lhes as vitórias do Senhor sobre seus inimigos (Js 23), recapitulou a fidelidade e a bondade de Deus (Js 24) e advertiu-os para que dessem ouvidos ao Senhor, sempre fossem fiéis a Javé e não se associassem com os pagãos.

Entretanto, “foi também congregada a seus pais toda aquela geração; e outra geração após eles se levantou, que não conhecia o Senhor, nem tampouco as obras que fizera a Israel. Então, fizeram os filhos de Israel o que era mau perante o Senhor; pois serviram aos baalins. Deixaram o Senhor, Deus de seus pais, que os tirara da terra do Egito, e foram-se após outros deuses, dentre os deuses das gentes que havia ao redor deles, e os adoraram, e provocaram o Senhor à ira” (Jz 2.10-12).

O levita não achou uma boa idéia passar a noite em Jebus. Por quê? A cidade pertencia aos cananeus. Ele sentiu que seria melhor ficar em Gibeá. O que ele não sabia é que Gibeá tinha se “canaanizado”.

A assustadora história do levita e de sua concubina é um retrato vívido da degradação. Israel decaiu espiritualmente porque misturou os ritos idólatras dos cananeus com o culto ao Senhor. Os israelitas decaíram como nação porque negligenciaram a guerra permanente contra os cananeus. A cidade dos jebuseus deveria ter sido conquistada. Sua existência permitiu que a traiçoeira cultura cananéia se espalhasse. Além disso, tornando-se prisioneiros dessa cultura, Gibeá e os benjamitas perderam a visão de Deus.

A morte de Josué e dos outros líderes daquela época deixou um vazio na liderança espiritual da nação. É evidente que a falta de líderes tementes a Deus leva a sociedade a fazer o que há de pior. O rei Davi declarou: “Socorro, Senhor! Porque já não há homens piedosos; desaparecem os fiéis entre os filhos dos homens” (Sl 12.1). Os crentes deveriam influenciar a sociedade através de sua separação e comportamento santo. “Porquanto a graça de Deus se manifestou salvadora a todos os homens, educando-nos para que, renegadas a impiedade e as paixões mundanas, vivamos, no presente século, sensata, justa e piedosamente” (Tt 2.11-12).

O caminho escorregadio que conduz à apatia, ao pecado e à identificação com o mundo é real. O grau em que as pessoas se deixam escravizar pela cultura mundana pode variar, mas a batalha sem tréguas entre o Evangelho e os valores e comportamentos do mundo é universal. “Mas revesti-vos do Senhor Jesus Cristo e nada disponhais para a carne no tocante às suas concupiscências” (Rm 13.14). (Peter Colón - Israel My Glory - http://www.chamada.com.br)


Peter Colón é o diretor de The Friends of Israel para os estados do Sudeste dos EUA.
Publicado anteriormente na revista Chamada da Meia-Noite, dezembro de 2006.

Encontro com Deus


O Encontro com Deus é um retiro preparado para todos os novos convertidos que se agregam à igreja local. Depois de aceitar a Jesus, ele precisa entender qual o propósito de Deus para sua vida. Ele precisa aprender a fazer distinção entre o reino de Deus e o reino das trevas. Para isso o encontro é uma peça fundamental, pois, durante três dias esse novo convertido é levado a ter uma experiência com Deus e abandonar de vez as práticas mundanas. Lá ele vai ter uma experiência profunda com a cruz de Cristo, levando-o a uma experiência de libertação, cura e enchimento com o Espírito Santo.

A Igreja Sede sob a cobertura dos Bispos Pedro e Walquiria Meister estará realizando seu próximo Encontro com Deus nos dias 08 a 10 de Outubro para todas as descendências: Equipe de Governo e Nação Jovem.

Os líderes de célula devem fazer as inscrições dos encontristas e efetivá-las junto aos Pastores João Henrique e Edna Rodovalho (coordenadores do encontro).

Informações sobre valores de inscrições e logística devem ser obtidas na Secretaria da Igreja e Lideres de Células.

Certeza que consola

Esta mensagem lembra muito as palavras do salmista: “Ainda que a minha carne e o meu coração desfaleçam, Deus é a fortaleza do meu coração e a minha herança para sempre” (Sl 73.26). Quando João Batista recebeu no cárcere a confirmação de que Jesus Cristo era realmente o Messias aguardado, teve condições de esperar sua execução sem se desesperar, com o coração consolado.

Em Mateus 11.2-3 lemos: “Quando João ouviu, no cárcere, falar das obras de Cristo, mandou por seus discípulos perguntar-lhe: És tu aquele que estava para vir ou havemos de esperar outro?”

João Batista, cuja vida apontava para a vinda do Salvador, e, como mensageiro do Messias, tinha a incumbência de preparar o povo de Israel para receber o Ungido, estava preso num cárcere. Nessa aflição, enviou dois de seus discípulos a Jesus com a pergunta: “És tu aquele que estava para vir ou havemos de esperar outro?” De repente, o coração de João começou a ser assaltado por dúvidas: esse Jesus era de fato o Messias ou eles deveriam esperar outro? Por que ele começou a duvidar?
Quando viu que Jesus não libertava os judeus do jugo romano, e quando foi lançado no cárcere e esperava por sua execução, João Batista começou a duvidar da identidade de Jesus.

Quando ainda batizava no Jordão e Jesus veio ter com ele, João testemunhou com toda a clareza e com certeza inabalável: “Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo!” (Jo 1.29b). “...eu, de fato, vi e tenho testificado que ele (Jesus) é o filho de Deus” (v.34). Dois versículos adiante está escrito: “e, vendo Jesus passar, disse: Eis o Cordeiro de Deus!” (v.36). João não apenas cria em Jesus mas estava plenamente convicto de que esse Jesus era o Messias, o Filho de Deus, o Cordeiro de Deus – sem duvidar e sem vacilar!

Esperanças não-cumpridas...

...vêm acompanhadas de dúvidas. O que João Batista esperava de Jesus? Ele, os discípulos e todo o povo de Israel esperavam o Messias chegando com poder e glória, libertando Israel do jugo dos romanos e estabelecendo o prometido reino messiânico. Mas essa expectativa não estava se concretizando naqueles dias. Ao invés de experimentar triunfo, alegria e regozijo, João Batista foi preso, jogado no cárcere, subjugado e humilhado. Por isso, em sua aflição e em suas dúvidas cruéis, João enviou dois de seus discípulos a Jesus para perguntar se Ele era o Messias prometido.

Seja como for, João dirigiu suas perguntas à pessoa certa. Ele sabia que somente Jesus poderia fornecer uma resposta confiável às dúvidas que assaltavam seu coração, dando nova perspectiva à sua situação nada satisfatória. Uma resposta maravilhosa e miraculosa

Quando os dois discípulos, por ordem de João Batista, perguntaram se Jesus era o Messias prometido ou se deveriam esperar outro, Ele lhes respondeu: “Ide e anunciai a João o que estais ouvindo e vendo: os cegos vêem, os coxos andam, os leprosos são purificados, os surdos ouvem, os mortos são ressuscitados, e aos pobres está sendo pregado o evangelho. E bem-aventurado é aquele que não achar em mim motivo de tropeço” (Mt 11.4-6).

Essa era uma resposta que esclarecia e elucidava o assunto. Mas por que ela foi tão minuciosa e tão bem explicada? Será que Jesus não poderia ter respondido com palavras mais breves e mais simples? Por que Ele não disse simplesmente aos enviados: “Digam a João: sim, eu sou o Messias!” Se Jesus tivesse respondido dessa forma, certamente João teria ficado satisfeito naquele momento. Mas depois de alguns dias, com a continuidade de sua aflição pessoal, as mesmas dúvidas voltariam a assaltar sua mente: “Será que Jesus mentiu para mim? Por que continuo na prisão? O que está acontecendo? Precisamos esperar por alguém ainda maior que Jesus?” Dúvidas, perguntas, questionamentos e mais dúvidas, assim como as encontramos com freqüência em muitos casos tratados no aconselhamento bíblico. E, muitas vezes, o resultado dessas dúvidas e questionamentos é a revolta contra Jesus! Não foi por acaso que Ele acrescentou à Sua resposta: “E bem-aventurado é aquele que não achar em mim motivo de tropeço”.

Jesus respondeu de maneira bem diferente do que nós responderíamos e do que esperaríamos dEle. Sua resposta consistiu menos de palavras do que de obras. Ele mandou os discípulos olhar e ver o que estava acontecendo. Jesus também relacionou o que disse às declarações do profeta Isaías. Este havia profetizado que o Servo do Senhor, o Messias, iria pregar boas-novas e curar os quebrantados, sarar os cegos e os surdos e proclamar libertação aos cativos (Is 42.6-7,18; Is 61.1-2). Os dois discípulos de João viram todas essas coisas acontecendo diante de seus olhos. Mencionando tudo isso, Jesus deixou claro para João que Ele representava tudo o que havia sido profetizado acerca do Messias.
O que pesa em seu coração? Quais os seus questionamentos? Quais as suas dúvidas? O que deixa você insatisfeito? Certeza e confiança através do cumprimento da profecia bíblica

A resposta de Jesus não foi uma declaração apenas de lábios, não foi um simples sim ou não. Sua resposta estava embasada em fatos incontestáveis, fatos que permitiam a verificação de Sua reivindicação de ser o Messias. Essa resposta representava mais do que milhares de respostas afirmativas:“Sim! Eu sou o Messias!” Agora João tinha certeza absoluta de que esse Jesus era realmente o Filho do Deus vivo e que ele não precisava esperar por mais ninguém!

Antes de ser preso, ele tinha clareza sobre o fato de Jesus ser o Cordeiro de Deus que levaria o pecado do mundo. Mas quando viu que Jesus não libertava os judeus do jugo romano, e quando ele mesmo foi lançado no cárcere e esperava por sua execução, começou a duvidar da identidade de Jesus. Através da resposta dEle, trazida por seus discípulos, foi reconduzido à sua certeza inicial de que Jesus, e nenhum outro, era o Messias.

Mesmo que suas expectativas não tivessem se concretizado, mesmo que sua situação pessoal não tivesse mudado e até piorado, João não se irou contra Deus nem se revoltou contra o Senhor. Ele estava na prisão e não sabia o que lhe traria o dia de amanhã. Sua incerteza em relação ao futuro continuava a mesma, mas apesar disso ele tinha condições de continuar calmo e tranqüilo. Como isso foi possível? Mesmo que a aflição fosse a mesma, a legítima Palavra de Deus vinda da boca de Jesus lhe concedeu força e consolo, esperança e certeza! Agora ele podia viver na convicção de que Jesus era o Messias e que a Palavra de Deus se cumpre – sempre! Diante dessa convicção nascida na fé, todos os outros assuntos perderam sua importância, e João conseguiu colocar todas as questões pessoais em segundo plano. Prisão ou palácio, riqueza ou pobreza, agora apenas uma coisa contava: somente Jesus!

“Não andeis ansiosos de coisa alguma; em tudo, porém, sejam conhecidas, diante de Deus, as vossas petições”.

Quais são as nossas expectativas? Qual a nossa esperança? O que nós aguardamos? Talvez você esteja decepcionado porque o Arrebatamento ainda não aconteceu. Você fica irado com Jesus porque continua desempregado? O que pesa em seu coração? Quais os seus questionamentos? Quais as suas dúvidas? O que deixa você insatisfeito? Jesus diz que “bem-aventurado é aquele que não achar em mim motivo de tropeço”. Certamente nós também temos muitas razões para estarmos satisfeitos, tranqüilos e consolados, para sermos gratos. Paulo escreveu palavras cheias de consolo aos cristãos em Filipos enquanto estava na prisão, não a partir de um palácio em Roma. Essas palavras até hoje trazem conforto e alento renovado também a nós, que seguimos o Cordeiro – a cada um de nós pessoalmente, independentemente das condições em que vivemos e do que estejamos passando: “Alegrai-vos sempre no Senhor; outra vez digo: alegrai-vos. Seja a vossa moderação conhecida de todos os homens. Perto está o Senhor. Não andeis ansiosos de coisa alguma; em tudo, porém, sejam conhecidas, diante de Deus, as vossas petições, pela oração e pela súplica, com ações de graças. E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará o vosso coração e a vossa mente em Cristo Jesus” (Fp 4.4-7).

Deveríamos confortar e estimular uns aos outros continuamente com essas afirmações, assim como João se alegrou sobremaneira com as palavras que Jesus mandou dizer-lhe! Jesus é o Filho de Deus, Ele cuida de nós, a Palavra se cumpre e Cristo voltará como prometeu (Jo 14.2-3; veja 1 Ts 4.16-18). Até que estejamos para sempre na glória com Ele, pratiquemos o que está escrito em Filipenses 4.6: “Não andeis ansiosos de coisa alguma; em tudo, porém, sejam conhecidas, diante de Deus, as vossas petições...” Então “a paz de Deus, que excede todo o entendimento” guardará nossos corações e nossas mentes “em Cristo Jesus” (v. 7).

FONTE: Chamada.com.br - texto de Thomas Lieth


Conheça a banda dos ex-músicos de David Quinlan

Junto com Eliah Oliver, ex-vocalista da Banda Khorus, os ex-integrantes do Ministério Paixão, Fogo e Glória formaram a banda Freedom, e tudo parece já estar bem encaminhado.

No site da banda, você pode ouvir trechos de algumas músicas, baixar wallpapers, ver fotos e perfil de cada integrante da banda. Aliás, na agenda da Freedom, já constam duas apresentações, sendo uma ainda este mês.


Os músicos que acompanhavam o adorador David Quinlan tiveram o desejo de ter uma banda com um som mais pesado e mais evangelístico e ainda que com uma polêmica saída, a banda já está aceitando convites para eventos.

Sobre a saída dos músicos do PFG, muitas coisas ainda estão pendentes, conforme é possível acompanhar no BlogPFG em que o líder do ministério faz um desabafo no post “Não queria, mas preciso abrir meu coração…”. No desabafo, David Quinlan fala da saída dos músicos do Paixão, Fogo e Glória e da banda Freedom.

Para conhecer um pouco mais sobre a banda Freedom, acesse o site: www.bandafreedom.com.br

Fonte: Gospel Mais

Haiti paga por fazer "pacto com o diabo", diz Evangelista


Pat Roberton é conhecido pelas suas visões polemicas. Televangelista cristão, um dos mais mediáticos nos Estados Unidos, teve mais uma tirada infeliz que suplantou as expectativas dos mais pessimistas.
No programa "700 Club", do canal Christian Broadcasting Network (CBN), Robertson comentou a tragédia no Haiti de forma algo peculiar.
"Algo aconteceu há muito tempo no Haiti e as pessoas talvez não queriam falar sobre isso. Estavam sob domínio francês, na altura de Napoleão III, juntaram-se fizeram um pacto com o diabo. Disseram: "Vamos servi-lo se nos libertar do Príncipe". É uma história verdadeira. E o diabo disse: "Ok, está combinado". E os franceses foram expulsos. Os haitianos revoltaram-se e conseguiram libertar-se. Mas, desde então, foram amaldiçoados com coisas atrás de coisas."
Um porta-voz da CBN, Chris Roslan, emitiu, entretanto, um esclarecimento sobre estas declarações. "Os seus comentários foram baseados numa ampla discussão sobre a rebelião de escravos de 1791, liderada por Boukman Dutty, em que os escravos alegadamente teriam feito um pacto com o diabo para se livrarem dos franceses", frisou, considerando que se trata de um assunto que tem gerado grandes discussões entre especialistas ao longo dos séculos.
"O Dr. Robertson nunca disse que o sismo era resultado da raiva de Deus", vincou, acrescentando que na totalidade do vídeo, o televangelista chega a pedir para se orar pelos haitianos.
Num texto publicado no "The Huffington Post", o jornalista Michael Rowe não esconde a sua incredulidade. "Haiti foi o local da única revolução escrava de sucesso na história da humanidade", recorda, apontando o dedo a Pat Robertson: "Enquanto mulheres gritam perante as crianças mortas, Pat Robertson preocupava-se em contar uma história sobre o fato dos haitianos estarem a sofrer uma dor inimaginável e desespero porque fizeram um pacto com o Diabo" quando queria ser libertados por "vocês sabe, Napoleão III ou qualquer coisa assim."
Rowe considera que deve haver um diálogo nos Estados Unidos sobre o lado "cáustico" da religião, que se torna fanática, frisou, dizendo não acreditar que os milhões de seguidores do televangelista deixem de ajudar o Haiti por causa deste tipo de comentários.
Fonte: O Verbo e Elite Gospel (blog)

PROVÉRBIOS 3



Lembro-me de uma manhã de domingo na escola de LIDERES, onde a pastora Walquiria Meister estava ministrando esse texto de Provérbios cap.3, Deus encheu toda a sala com sua Glória e o meu coração transbordou nesta palavra e sempre que abro a bíblia neste capitulo o Senhor traz a minha lembrança essa revelação com muita paz e graça. E Gostaria de compartilhar com vocês.

1- Filho meu, não te esqueças dos meus ensinos, e teu coração guarde os meus mandamentos; 2- porque eles aumentarão os teus dias e te acrescentaram anos de vida e paz.
Quanta promessa Deus já trouxe sobre a sua vida? Você se lembra? O que você tem ouvido no púlpito de sua igreja? O que o Senhor tem ministrado ao seu coração? Prepare a terra (coração) para a boa semente, deixe fluir sua FÉ, creia nas promessas, por que ai está a direção para caminhar em Cristo Jesus (anos de vida e paz).

3- Não te desamparem a benignidade e a fidelidade; ata-as ao teu pescoço; escreve-as na tabua do teu coração. 4- e acharás graça e boa compreensão diante de Deus e dos homens.
A palavra do Senhor tem que ser vivida não só para chorarmos e sermos edificados ao ouvir uma promessa ou um louvor abençoado, mas para que a glória de Deus seja manifesta em nós e através de nós e assim sejamos LUZ PARA OS POVOS e SAL DA TERRA; então acharemos graça e boa compreensão diante de Deus e dos homens (TESTEMUNHO).

5- Confia no Senhor de todo o teu coração e não te estribes no teu próprio entendimento. 6- Reconhece-o em todos os teus caminhos, e ele endireitara todas as tuas veredas. 7- Não sejas sábio aos teus próprios olhos; teme ao Senhor e aparta-te do mal; 8- será isto saúde para o teu corpo e refrigério, para os teus ossos.
Achamos que em nossa vida muitas coisas acontecem sem razão e nossas vontades buscam o realizar e o efetuar com nossas forças e entendimento, e nos dias maus nos perguntamos por que comigo, gritamos (Deus me ajude) porque me desamparas-te? Você orou ao Senhor nesta manhã, entregando sua vida, família, trabalho, célula, discípulos, igreja, sonhos, planos e projetos nas mãos do SENHOR; (“Ora, àquele que é poderoso para fazer tudo muito mais abundantemente além daquilo que pedimos ou pensamos, segundo o poder que em nós opera”) Efésios 3: 20

9- Honra ao Senhor com os teus bens e com as primícias de toda a tua renda; 10- e se encheram fartamente os teus celeiros, e transbordaram de vinho os teus lagares.
Temos um inimigo e ele tem cegado o entendimento do povo em relação a vida financeira, ouvimos pessoas (ímpios) fazer chacotas que damos dinheiro para pastor, e ouvimos e vemos cristãos que estão cegos e presos por sofismas do mundo pela confiança em sua situação financeira, responda a você com toda sinceridade; Você crê na palavra do Senhor? Leia novamente os versículos 9 e 10, O Senhor esta dizendo que fartamente se encherá e que transbordará, ore neste momento, peça perdão a Deus pela sua infidelidade, por ter roubado ao Senhor nos dízimos e ofertas, e tenha sua libertação financeira, seja livre para prosperar porque as novidades da terra são para você.

11- Filho meu não rejeites a disciplina do Senhor, nem te enfades da tua repreensão. 12 Porque o Senhor repreende a quem ama, assim como o pai, ao filho a quem quer bem.
Deus tem o melhor pra você, nao temas vá e conquiste pois as novidades da terra são pra nós. AMEM (By Lu Inesio)

O tempo esta próximo!


Bem aventurado aqueles que lêem e aqueles que ouvem as palavras da profecia e guardam as coisas nela escritas, pois o tempo esta próximo. (Ap 1:3)

As 24 horas nao sao suficientes para suprir as inumeras atividades que se aculam em nosso dia a dia, e nosso adversário tem usado isso para matar a nossa intimidade com o Senhor, para roubar a Glória de Deus em nós e assim destruir nossa fé sem a qual é impossivel agradar a Deus; No trabalho ouvimos que temos que ser os melhores nao importa a que preço, vivendo assim numa balança de incertezas e insegurança. Em nossos lares temos que dividir com os familiares um tempo para a internet, outro para a TV e tantas outras atividades que nos toma por completo responda agora pra voce mesmo qual tempo voce tem dedicado a ler a biblia, ouvir ao Senhor, declarar sua dependencia, sua vida a Ele. Sera que temos dado a devida atençao ao nosso tempo, temos dado a devida prioridade como devem ser: Deus, familia, trabalho, Igreja...

Isto, porem, vos digo, irmãos: o tempo se abrevia o que resta é que nao só os casados sejam como se o nao fossem; mas tambem os que choram, como se nao chorassem; e os que se alegram, como se nao se alegrassem; e os que compram; como se nada possuissem; e os que se utilizam do mundo, como se dele nao usassem; porque a aparencia deste mundo passa. (1 Co 7:29-31)

Vemos neste texto o apostolo Paulo trazendo a luz o que estamos vivendo em nossos dias mas com o foco do tempo, da vida, do fluir para a Paz a Justiça e a alegria no Senhor. Neste momento eu te convido a fazer uma oraçao comigo:
Senhor Jesus entrego a Ti, minha vida, minha familia, meu trabalho e tudo que sou e tudo que tenho esta hoje nas tuas mãos. Declaro com minha boca que Tu és meu Senhor e Salvador e no meu coraçao eu creio que apartir de hoje sou seu filho amado e em minha vida e atrav´s dela, o Senhor realizará maravilhas. Obrigado Jesus!!!