Vídeos do Lu Inesio

Loading...

Haiti paga por fazer "pacto com o diabo", diz Evangelista


Pat Roberton é conhecido pelas suas visões polemicas. Televangelista cristão, um dos mais mediáticos nos Estados Unidos, teve mais uma tirada infeliz que suplantou as expectativas dos mais pessimistas.
No programa "700 Club", do canal Christian Broadcasting Network (CBN), Robertson comentou a tragédia no Haiti de forma algo peculiar.
"Algo aconteceu há muito tempo no Haiti e as pessoas talvez não queriam falar sobre isso. Estavam sob domínio francês, na altura de Napoleão III, juntaram-se fizeram um pacto com o diabo. Disseram: "Vamos servi-lo se nos libertar do Príncipe". É uma história verdadeira. E o diabo disse: "Ok, está combinado". E os franceses foram expulsos. Os haitianos revoltaram-se e conseguiram libertar-se. Mas, desde então, foram amaldiçoados com coisas atrás de coisas."
Um porta-voz da CBN, Chris Roslan, emitiu, entretanto, um esclarecimento sobre estas declarações. "Os seus comentários foram baseados numa ampla discussão sobre a rebelião de escravos de 1791, liderada por Boukman Dutty, em que os escravos alegadamente teriam feito um pacto com o diabo para se livrarem dos franceses", frisou, considerando que se trata de um assunto que tem gerado grandes discussões entre especialistas ao longo dos séculos.
"O Dr. Robertson nunca disse que o sismo era resultado da raiva de Deus", vincou, acrescentando que na totalidade do vídeo, o televangelista chega a pedir para se orar pelos haitianos.
Num texto publicado no "The Huffington Post", o jornalista Michael Rowe não esconde a sua incredulidade. "Haiti foi o local da única revolução escrava de sucesso na história da humanidade", recorda, apontando o dedo a Pat Robertson: "Enquanto mulheres gritam perante as crianças mortas, Pat Robertson preocupava-se em contar uma história sobre o fato dos haitianos estarem a sofrer uma dor inimaginável e desespero porque fizeram um pacto com o Diabo" quando queria ser libertados por "vocês sabe, Napoleão III ou qualquer coisa assim."
Rowe considera que deve haver um diálogo nos Estados Unidos sobre o lado "cáustico" da religião, que se torna fanática, frisou, dizendo não acreditar que os milhões de seguidores do televangelista deixem de ajudar o Haiti por causa deste tipo de comentários.
Fonte: O Verbo e Elite Gospel (blog)

Nenhum comentário:

Postar um comentário